• Padroeiro da Cidade de Una - 19.03

    São José era carpinteiro na Galiléia e marido da Virgem Maria, protetor da Sagrada Família.

  • Padroeira do Brasil

    O Dia de Nossa Senhora Aparecida foi oficialmente instituído a partir do decreto de Lei nº 6.802, de 30 de junho de 1980.

  • Campanha da Fraternidade 2019

    Tema: Fraternidade e Políticas Públicas Lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27).

  • Paróquia São José

    Una - Bahia.

  • Igreja Católica Apóstolica

    Fundada de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo e que tem o apóstolo Pedro como figura de destaque, pois foi através dele que a Igreja começou a ser edificada (Mateus 16:18)..

Paz e concórdia

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba (MG)
Não é tão fácil ter paz verdadeira num mundo e numa cultura de tanta riqueza de diversidade. A desarmonia, em muitas situações, fala muito mais alto. Há muita discórdia, inconformismos, que até provoca situações de violência e vandalismo alhures. O grande símbolo de tudo isto está na total banalização das armas.
Em diversos momentos de sua história as pessoas são tomadas de surpresas. Isto acontece nos incidentes da própria natureza, numa doença, num descuido no trânsito, nas construções visando progresso etc. Em muitos deles existe determinado grau de irresponsabilidade, tirando a paz, levando a grandes desconfortos.
Muitos eventos são apresentados de forma sensacionalista, primando por novidade, por progresso e desenvolvimento. É o caso dos desatinos e correrias na preparação para a copa e as olimpíadas. Será que todo investimento nas construções possibilitará uma realidade de paz, de concórdia e vida saudável para a população, principalmente para os mais pobres e sofridos de nosso país?
Temos que vislumbrar vida nova, de paz, de concórdia, de saúde e qualidade. Mas sofremos as consequências negativas da caminhada tecnológica, tirando a paz e a qualidade de vida da população. As irradiações químicas e os efeitos dos venenos jogados na natureza têm sido contravalores na defesa da vida em todas as suas dimensões.
Estamos muito assustados com o alto índice e o crescimento de certas doenças na vida da população. Assistimos e “elogiamos” um progresso que mata. Não há tanta preocupação com a prevenção e com as consequências negativas e desastrosas dos grandes negócios. Uma fábrica de amônia, por exemplo, que supõe investimentos milionários, não pode colocar toda uma população em risco?
Não podemos ser contra o progresso. Ele é sempre bem vindo e saudável. Isto faz parte das riquezas da história humana, das possibilidades de uma vida melhor para todos, mas tem que ser de forma sustentável, tendo como primeiro e sublime objetivo a qualidade de vida das pessoas, condição essencial para verdadeira paz. Os critérios de responsabilidade devem estar acima de qualquer interesse de âmbito econômico.


Share:

Encerramento do Ano da Fé e do Ano Litúrgico (Ano C)

A Paróquia de São José (Una) encerra o Ano da Fé e o Ano Litúrgico (Ano C) com a celebração da Santa Missa, no último domingo (24.11). A Missa foi organizada pela Pastoral Familiar que ainda lembrou a importância do Leigo.














Share:

Encerrada a XII Assembleia da Forania Sul

Com o tema Igreja: Comunidade de Comunidades foi encerrada na manhã deste domingo (24.11) a XII Assembleia da Forania Sul, realizada na cidade de Camacan. O encontro que avaliou as atividades da Forania Sul do ano de 2013, terminou com um almoço servido pela comunidade local.
A XII Assembleia reuniu religiosas, representantes e padres de todas as Paróquias pertencentes à Forania Sul - Diocese de Itabuna.







Share:

Jesus Cristo, Rei do Universo – Domingo 24/11/13

Primeira Leitura (2Sm 5,1-3)

Leitura do Segundo Livro de Samuel:
Naqueles dias, 1todas as tribos de Israel vieram encontrar-se com Davi em Hebron e disseram-lhe: “Aqui estamos. Somos teus ossos e tua carne. 2Tempos atrás, quando Saul era nosso rei, eras tu que dirigias os negócios de Israel. E o Senhor te disse: ‘Tu apascentarás o meu povo Israel e serás o seu chefe’”.
3Vieram, pois, todos os anciãos de Israel até ao rei em Hebron. O rei Davi fez com eles uma aliança em Hebron, na presença do Senhor, e eles o ungiram rei de Israel.

Responsório (Sl 121)

— Quanta alegria e felicidade: vamos à casa do Senhor!
— Quanta alegria e felicidade: vamos à casa do Senhor!
— Que alegria, quando ouvi que me disseram:/ “Vamos à casa do Senhor!”/ E agora nossos pés já se detêm, Jerusalém, em tuas portas.
— Para lá sobem as tribos de Israel, as tribos do Senhor. Para louvar, segundo a lei de Israel,/ o nome do Senhor/ A sede da justiça lá está/ e o trono de Davi.

Segunda Leitura (Cl 1,12-20)

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses:
Irmãos: 12Com alegria dai graças ao Pai, que vos tornou capazes de participar da luz, que é a herança dos santos. 13Ele nos libertou do poder das trevas e nos recebeu no reino de seu Filho amado, 14por quem temos a redenção, o perdão dos pecados. 15Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, 16pois por causa dele foram criadas todas as coisas no céu e na terra, as visíveis e as invisíveis, tronos e dominações, soberanias e poderes. Tudo foi criado por meio dele e para ele.
17Ele existe antes de todas as coisas e todas têm nele a sua consistência. 18Ele é a Cabeça do Corpo, isto é, da Igreja. Ele é o princípio, o Primogênito dentre os mortos; de sorte que em tudo ele tem a primazia, 19porque Deus quis habitar nele com toda a sua plenitude 20e por ele reconciliar consigo todos os seres, os que estão na terra e no céu, realizando a paz pelo sangue da sua cruz.



Evangelho (Lc 23,35-43)


Naquele tempo, 35os chefes zombavam de Jesus dizendo: “A outros ele salvou. Salve-se a si mesmo, se, de fato, é o Cristo de Deus, o Escolhido!”
36Os soldados também caçoavam dele; aproximavam-se, ofereciam-lhe vinagre, 37e diziam: “Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo!”
38Acima dele havia um letreiro: “Este é o Rei dos Judeus”.
39Um dos malfeitores crucificados o insultava, dizendo: “Tu não és o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós!”
40Mas o outro o repreendeu, dizendo: “Nem sequer temes a Deus, tu que sofres a mesma condenação? 41Para nós, é justo, porque estamos recebendo o que merecemos; mas ele não fez nada de mal”. 42E acrescentou: “Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reinado”.
43Jesus lhe respondeu: “Em verdade eu te digo: ainda hoje estarás comigo no Paraíso”.


Share:

Ano da Fé termina neste domingo com um grande ensinamento


Ano da Fé reforça a importância de se viver a fé como dom, afirma Dom Walmor
Encerrando o Ano da Fé

Com a celebração da Festa de Cristo Rei do Universo, neste domingo, 24, a Igreja Católica no mundo inteiro se une, de maneira especial, ao Papa Francisco, no encerramento do Ano da Fé.

O Papa emérito Bento XVI foi quem convocou a vivência do Ano da Fé, iniciado em 11 de outubro de 2012, quando se celebrava o cinquentenário da abertura do Concílio Ecumênico Vaticano II. Uma data relevante para a vida e missão da Igreja na sua tarefa de fazer de todos discípulos e discípulas de Jesus.

O grande propósito deste Ano da Fé foi exatamente a oportunidade para um aprofundamento, compreensão e vivência da fé como experiência de encontro pessoal com Jesus, única pessoa que pode dar à vida, de maneira duradoura, um novo horizonte e, com isto, como afirmou o Papa Bento XVI, na sua Carta Encíclica Deus é Amor, uma direção decisiva.

Nessa oportunidade oferecida, como necessidade permanente, está a importância de apropriações conceituais fundamentais que norteiam a vida de modo diferente, qualificando-a a partir de sua compreensão como dom de Deus. É claro que a fé não é uma simples apropriação de conceitos.

A importância deles na vivência do dom da fé se define pela luz própria que a razão indispensavelmente traz para que a pessoa avance na direção da verdade que liberta completamente.

O bem-aventurado João Paulo II, na sua Carta Encíclica sobre a Fé e a Razão, introduz esta temática sublinhando que “a fé e a razão são como duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade”.

João Paulo II completa lembrando-nos que “foi Deus quem colocou no coração do homem o desejo de conhecer a verdade e, em última análise, de conhecer a Ele, para que o conhecendo e amando-o, possa também chegar à verdade plena sobre si”.

A razão é uma alavanca decisiva no caminho da vida humana, na vivência da história, na construção da sociedade. É convincente e fácil de perceber, analisando a história, que os descompassos da humanidade vieram das irracionalidades. Basta pensar sobre guerras, exclusão social, manipulações e totalitarismos.

Determinante também é o dom da fé. Sua profunda compreensão e sua vivência qualificam a cultura, corrigem os rumos da história e iluminam o caminho da humanidade, proporcionando a experiência de sentido que faz a vida valer a pena, ser construída com dignidades e altruísmos insuperáveis.

O dom da fé é uma experiência que avança para além da razão, na sua notável propriedade de alcançar lucidez para encontrar soluções.

A luz da fé permite lidar com questões que estão inevitável e inexoravelmente no horizonte da existência humana: “Quem sou eu? De onde venho e para onde vou? Por que existe o mal? O que existirá depois desta vida?” Somente a fé permite lidar com o mistério que estas interrogações tocam, proporcionando uma compreensão coerente.

Esta consideração convence de que a fé não se reduz a simples sentimento. Também não pode ser compreendida como um caminho que simplesmente traz soluções imediatistas, para desgastes existenciais comuns na contemporaneidade. Menos ainda deve ser buscada como produção de experiências milagreiras, promessa de mesquinhas prosperidades e clamorosas manipulações, advindas do usufruto irracional das fragilidades humanas.

O ano especial que se encerra no próximo domingo reforça a importância de se viver a fé como dom. Concretamente, vale prestar atenção, analisar e avaliar, como exemplo, o grande patrimônio de trezentos anos da cultura mineira.

Nele se pode constatar convictamente o papel decisivo e qualificador da fé cristã, particular e reconhecida referência à fé cristã católica, gerando um conjunto cultural, histórico, artístico e religioso que abrange toda a Minas Gerais.

Este Ano da Fé, relembra o Papa Francisco, na sua primeira Carta Encíclica, permitiu viver, cotidianamente, o empenho para recuperar o caráter de luz que é próprio da fé. O Papa lembra que quando esta luminosidade se apaga, todas as outras luzes acabam por perder o seu vigor.

A fé é o caminho para o amor, que verdadeiramente transforma a vida. É hora de investir na vivência autêntica, profética e comprometida da fé, na cultura da paz, apelo e meta no encerramento deste ano especial.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte

Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=290356
Share:

XII Assembleia da Forania Sul

Atividades na tarde de sábado (23.11) da XII Assembleia da Forania Sul, com o tema Igreja: Comunidade de Comunidades.











Share:

Missa de Inauguração da Capela Mãe do Divino Amor- Camacan

Ocorreu neste ultimo sábado (23.11) a Missa de Inauguração da Capela Mãe do Divino  Amor
da Paróquia de São Sebastião - Camacan - Diocese de Itabuna, com a presença do Bispo diocesano - Dom Ceslau Stanula e representantes das 11 paróquias da Forania Sul.
















Share:

XII Assembleia da Forania Sul - 23 e 24 de novembro de 2013

Religiosas, representantes e padres de todas as Paróquias pertencentes à Forania Sul - Diocese de Itabuna se reuniram na manhã desse sábado, 23, na Igreja de São Sebastião na cidade de Camacan, sob a presidência do vigário forâneo, Padre Euvaldo Santana da Silva, para dar início ás atividades da XII Assembleia da Forania Sul, com o tema Igreja: Comunidade de Comunidades.

Igreja de São Sebastião



Pe Francisco Pio



Pe Euvaldo dando boas vindas aos presentes.



Pe Acássio - Palestrante


Share:

Pesquisar

Postagens mais visitadas

Postagens mais visitadas

Arquivo do blog

Postagens recentes

Pages

Definition List