• Padroeiro da Cidade de Una - 19.03

    São José era carpinteiro na Galiléia e marido da Virgem Maria, protetor da Sagrada Família.

  • Padroeira do Brasil

    O Dia de Nossa Senhora Aparecida foi oficialmente instituído a partir do decreto de Lei nº 6.802, de 30 de junho de 1980.

  • Campanha da Fraternidade 2019

    Tema: Fraternidade e Políticas Públicas Lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27).

  • Paróquia São José

    Una - Bahia.

  • Igreja Católica Apóstolica

    Fundada de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo e que tem o apóstolo Pedro como figura de destaque, pois foi através dele que a Igreja começou a ser edificada (Mateus 16:18)..

Um cristão deve consultar horóscopo?

O diabo não busca outra coisa senão fechar e obstruir a estrada de nosso retorno a Deus
A astrologia pretende definir a vida humana a partir da posição ocupada pelos astros no dia do nascimento da pessoa. A astrologia e o horóscopo são cultivados desde remotas épocas antes de Cristo, ou seja, desde a civilização dos caldeus da Mesopotâmia, por volta de 2500 a.C.. Nessa época, os estudiosos pouco sabiam a respeito do sistema solar e dos astros em geral.

HORÓSCOPO
Segundo o grande mestre D. Estevão Bettencourt, tal “ciência” é falsa por diversos motivos:
1 – Baseia-se na cosmologia geocêntrica de Ptolomeu; conta sete planetas apenas, entre os quais é enumerado o Sol;
2 – A existência das casas do horóscopo ou dos compartimentos do zodíaco é algo de totalmente arbitrário e irreal;
3 – Os astros existentes no cosmo são quase inumeráveis; conhece-se interferências deles no espaço que outrora se ignorava. É notório também o fato de que os astros modificam incessantemente a sua posição no espaço. Por que então a astrologia leva em conta a influência de uma constelação apenas?;
4 – A astrologia incute uma mentalidade fatalista e alienante, que deve ser combatida, pois não corresponde aos genuínos conceitos de Deus e do homem. Registram-se erros flagrantes de astrólogos. (Revista PR, Nº 266 – Ano 1983 – Pág. 49).
Uma pesquisa realizada nos EUA mostra que seguir os horóscopos “pode fazer mal à saúde mental”. O estudo foi publicado na revista “Journal of Consumer Research” e descobriu que pessoas que leem o horóscopo diariamente são mais propensas a um comportamento impulsivo ou a serem mais tolerantes com seus “desvios” quando a previsão do zodíaco é negativa. Cientistas das universidades Johns Hopkins e da Carolina do Norte recrutaram 188 indivíduos, que leram um horóscopo desfavorável. Os resultados mostraram que para as pessoas que acreditam que podem mudar o seu destino, um horóscopo desfavorável aumentou a probabilidade de elas caírem em alguma “tentação”. “Acreditava-se que, para uma pessoa que julga poder mudar o seu destino, o horóscopo deveria fazê-la tentar modificar alguma coisa em seu futuro”, disseram os autores da pesquisa. No entanto, viu-se o oposto: aqueles que acreditam no horóscopo, quando veem que a previsão é negativa, acabam cedendo às suas “tentações”, levando-os a um comportamento impulsivo e, eventualmente, irresponsável.
“Fonte: http://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/horoscopo-faz-mal-saude-mental-11063132)
Uma prova do erro da astrologia é a desigualdade de sortes de crianças nascidas no mesmo lugar e no mesmo instante, até mesmo dos gêmeos. Veja por exemplo caso de Esau e Jacó (Gen 25). Se os astros regem a vida dos homens, como não a regem uniformemente nos casos citados? Quem conhece os gêmeos sabem muito bem disso.
Santo Agostinho, já no século IV, combatia veementemente as superstições e a astrologia. No seu livro ‘A doutrina cristã’ escreve: “Todo homem livre vai consultar os tais astrólogos, paga-lhes para sair escravo de Marte, de Vênus ou quiçá de outros astros”.
Querer predizer os costumes, os atos e os eventos baseando-se sobre esse tipo de observação, é grande erro e desvario. O cristão deve repudiar e fugir completamente das artes dessa superstição malsã e nociva, baseada sobre maléfico acordo entre homens e demônios. Essas artes não são notoriamente instituídas para o amor de Deus e do próximo; fundamentam-se no desejo privado dos bens temporais e arruínam assim o coração.
Em doutrinas desse gênero, portanto, deve-se temer e evitar a sociedade com os demônios que, juntamente com seu príncipe, o diabo, não buscam outra coisa senão fechar e obstruir a estrada de nosso retorno a Deus.”
“Os astrólogos dizem: a causa inevitável do pecado vem do céu; Saturno e Marte são os responsáveis. Assim isentam o homem de toda falta e atribuem as culpas ao Criador, àquele que rege os céus e os astros” (Confissões, I, IV, c. 3).
“Um astrólogo não pode ter o privilégio de se enganar sempre”, dizia o sarcástico Voltaire.
“O interesse pelo horóscopo como também por Tarô, I Ching, Numerologia, Cabala, jogo de búzios, cartas etc. é alimentado por mentalidade que se pode dizer “mágica”. Quem se entrega à prática de tais processos de adivinhação, de certo modo, acredita estar subordinado a forças cegas e misteriosas; o cliente de tais instâncias se amedronta e dobra diante de poderes fictícios – o que não é cristão.” (D. Estevão)
São Tomás de Aquino, em sua obra “Exposição do Credo”, afirma que o demônio quer ser adorado, por isso se esconde atrás dos ídolos. E São Paulo diz que “as coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam aos demônios e não a Deus” (1 Cor 10,21). Então, é preciso cuidado para não prestar um culto que não seja a Deus.

Fonte: http://formacao.cancaonova.com/igreja/catequese/um-cristao-deve-consultar-horoscopo/
Share:

Um 2015 feliz para nós!

A Palavra meditada hoje está em São Lucas 17,11-19:
Sorrindo pra Vida - 01 - 600x350
“Muitos podem pensar que não têm nada a agradecer, mas seja grato a Deus pelo dom da vida, por sua família, por sua saúde” – afirma padre Arlon
No tempo de Jesus, os leprosos eram considerados impuros e, por essa razão, não tinham proximidade com as demais pessoas. Os judeus acreditam que ao tocar uma pessoa impura, aquele que é puro se torna impuro.
Para receberem a cura, aqueles homens fizeram o impossível, pois, contrariando o que não podiam fazer, foram ao encontro de Jesus e gritaram, pediam que Ele tivesse misericórdia. Quantas vezes nós não clamamos a Deus como esses homens, não somente um grito sonoro, mas o grito de uma lágrima.
O Senhor nos chama ao arrependimento de nossos pecados. Olhemos para traz e nos arrependamos daquilo que ofendeu o coração de Deus. Se não fomos bons pais, que em 2015 seja diferente para nós. Não fomos um bom esposo ou esposa, que no próximo ano demos nosso melhor para ser um ano feliz.
Quais são nossos planos para 2015? Muitos pensam que este ano foi difícil e se privam de sonhar. Se ainda não vivemos a experiência do toque de Deus, hoje é o dia de nos encontrarmos com Ele e não O deixarmos mais.
Arrependamo-nos de nossos erros. É Cristo quem toca o impuro e o transforma em puro. É tempo de irmos ao encontro das pessoas para resgatá-las. Se neste ano ainda não demonstramos o quanto amamos as pessoas, agora é o tempo. Não basta amar, é preciso que as pessoas sintam que são amadas; também não basta perdoar, as pessoas precisam sentir que foram perdoados. Como é bom ouvir das pessoas que somos importantes para elas! Não basta apenas receber amor, é preciso dar amor.
Dos dez leprosos, apenas um voltou para agradecer. Próximos de um novo ano, é tempo de agradecermos ao Senhor. Passamos todo o ano de 2014 pedindo, mas viremos o ano agradecendo a Deus por tudo o que Ele nos fez.
Como é bom virarmos o ano com o louvor em nossos lábios! Muitos podem pensar que não tem nada a agradecer”, mas agradeça a Deus pelo dom da vida, por sua família, por sua saúde.
Quando agradecemos, temos a oportunidade de ser feliz pelo simples fato de nos reconhecermos filhos de Deus. Vivemos grandes desafios! Agradeçamos ao Senhor até mesmo pelas dificuldades que vivemos ao longo deste ano. Rendamos louvores pela vida de cada sócio evangelizador, colaborador e missionários, que lutam pela mesma causa.
Comecemos o ano de 2015 com o Senhor! Exultemos de alegria, pois Ele visita o nosso coração. Se estivermos passando pela cruz, acreditemos que no fim teremos a alegria. Não há ressurreição sem cruz. A alegria da ressurreição valerá à pena. Um 2015 feliz a cada um de nós!
Padre Arlon
Sacerdote da Comunidade Canção Nova
 Transcrição e Adaptação: Ariele Silva

Fonte: http://clube.cancaonova.com/sorrindo-para-a-vida/um-2015-feliz-para-nos/
Share:

Divulgada mensagem do papa Francisco para o Dia Mundial do Doente 2015


O Vaticano divulgou hoje, 30 de dezembro, a mensagem do papa Francisco para o 23º Dia Mundial do Doente. Instituído pelo papa João Paulo II em 1992, o Dia Mundial do Doente é celebrado em 11 de fevereiro, festividade da Virgem de Lourdes. Leia, na íntegra, o texto:
MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO
 PARA O XXIII DIA MUNDIAL DO DOENTE 
(11 DE FEVEREIRO DE 2015)
«Sapientia cordis. “Eu era os olhos do cego e servia de pés para o coxo” (Jó 29, 15)»

Queridos irmãos e irmãs,

Por ocasião do XXIII Dia Mundial do Doente, instituído por São João Paulo II, dirijo-me a todos vós que carregais o peso da doença, encontrando-vos de várias maneiras unidos à carne de Cristo sofredor, bem como a vós, profissionais e voluntários no campo da saúde.
O tema deste ano convida-nos a meditar uma frase do livro de Jó: «Eu era os olhos do cego e servia de pés para o coxo» (29, 15). Gostaria de o fazer na perspectiva da «sapientia cordis», da sabedoria do coração.
1. Esta sabedoria não é um conhecimento teórico, abstrato, fruto de raciocínios; antes, como a descreve São Tiago na sua Carta, é «pura (…), pacífica, indulgente, dócil, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem hipocrisia» (3, 17). Trata-se, por conseguinte, de uma disposição infundida pelo Espírito Santo na mente e no coração de quem sabe abrir-se ao sofrimento dos irmãos e neles reconhece a imagem de Deus. Por isso, façamos nossa esta invocação do Salmo: «Ensina-nos a contar assim os nossos dias, / para podermos chegar à sabedoria do coração» (Sal 90/89, 12). Nesta sapientia cordis, que é dom de Deus, podemos resumir os frutos do Dia Mundial do Doente. 
2. Sabedoria do coração é servir o irmão. No discurso de Jó que contém as palavras «eu era os olhos do cego e servia de pés para o coxo», evidencia-se a dimensão de serviço aos necessitados por parte deste homem justo, que goza de uma certa autoridade e ocupa um lugar de destaque entre os anciãos da cidade. A sua estatura moral manifesta-se no serviço ao pobre que pede ajuda, bem como no cuidado do órfão e da viúva (cf. 29, 12-13).
Também hoje quantos cristãos dão testemunho – não com as palavras mas com a sua vida radicada numa fé genuína – de ser «os olhos do cego» e «os pés para o coxo»! Pessoas que permanecem junto dos doentes que precisam de assistência contínua, de ajuda para se lavar, vestir e alimentar. Este serviço, especialmente quando se prolonga no tempo, pode tornar-se cansativo e pesado; é relativamente fácil servir alguns dias, mas torna-se difícil cuidar de uma pessoa durante meses ou até anos, inclusive quando ela já não é capaz de agradecer. E, no entanto, que grande caminho de santificação é este! Em tais momentos, pode-se contar de modo particular com a proximidade do Senhor, sendo também de especial apoio à missão da Igreja.
3. Sabedoria do coração é estar com o irmão. O tempo gasto junto do doente é um tempo santo. É louvor a Deus, que nos configura à imagem do seu Filho, que «não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para resgatar a multidão» (Mt 20, 28). Foi o próprio Jesus que o disse: «Eu estou no meio de vós como aquele que serve» (Lc 22, 27).
Com fé viva, peçamos ao Espírito Santo que nos conceda a graça de compreender o valor do acompanhamento, muitas vezes silencioso, que nos leva a dedicar tempo a estas irmãs e a estes irmãos que, graças à nossa proximidade e ao nosso afeto, se sentem mais amados e confortados. E, ao invés, que grande mentira se esconde por trás de certas expressões que insistem muito sobre a «qualidade da vida» para fazer crer que as vidas gravemente afectadas pela doença não mereceriam ser vividas!
4. Sabedoria do coração é sair de si ao encontro do irmão. Às vezes, o nosso mundo esquece o valor especial que tem o tempo gasto à cabeceira do doente, porque, obcecados pela rapidez, pelo frenesi do fazer e do produzir, esquece-se a dimensão da gratuidade, do prestar cuidados, do encarregar-se do outro. No fundo, por detrás desta atitude, há muitas vezes uma fé morna, que esqueceu a palavra do Senhor que diz: «a Mim mesmo o fizestes» (Mt 25, 40).
Por isso, gostaria de recordar uma vez mais a «absoluta prioridade da “saída de si próprio para o irmão”, como um dos dois mandamentos principais que fundamentam toda a norma moral e como o sinal mais claro para discernir sobre o caminho de crescimento espiritual em resposta à doação absolutamente gratuita de Deus» (Exort. ap. Evangelii gaudium, 179). É da própria natureza missionária da Igreja que brotam «a caridade efectiva para com o próximo, a compaixão que compreende, assiste e promove» (Ibid., 179).
5. Sabedoria do coração é ser solidário com o irmão, sem o julgar. A caridade precisa de tempo. Tempo para cuidar dos doentes e tempo para os visitar. Tempo para estar junto deles, como fizeram os amigos de Jó: «Ficaram sentados no chão, ao lado dele, sete dias e sete noites, sem lhe dizer palavra, pois viram que a sua dor era demasiado grande» (Job 2, 13). Mas, dentro de si mesmos, os amigos de Jó escondiam um juízo negativo acerca dele: pensavam que a sua infelicidade fosse o castigo de Deus por alguma culpa dele. Pelo contrário, a verdadeira caridade é partilha que não julga, que não tem a pretensão de converter o outro; está livre daquela falsa humildade que, fundamentalmente, busca aprovação e se compraz com o bem realizado.
A experiência de Jó só encontra a sua resposta autêntica na Cruz de Jesus, ato supremo de solidariedade de Deus para conosco, totalmente gratuito, totalmente misericordioso. E esta resposta de amor ao drama do sofrimento humano, especialmente do sofrimento inocente, permanece para sempre gravada no corpo de Cristo ressuscitado, naquelas suas chagas gloriosas que são escândalo para a fé, mas também verificação da fé (cf. Homilia na canonização de João XXIII e João Paulo II, 27 de Abril de 2014).
Mesmo quando a doença, a solidão e a incapacidade levam a melhor sobre a nossa vida de doação, a experiência do sofrimento pode tornar-se lugar privilegiado da transmissão da graça e fonte para adquirir e fortalecer a sapientia cordis. Por isso se compreende como Jó, no fim da sua experiência, pôde afirmar dirigindo-se a Deus: «Os meus ouvidos tinham ouvido falar de Ti, mas agora vêem-Te os meus próprios olhos» (42, 5). Também as pessoas imersas no mistério do sofrimento e da dor, se acolhido na fé, podem tornar-se testemunhas vivas duma fé que permite abraçar o próprio sofrimento, ainda que o homem não seja capaz, pela própria inteligência, de o compreender até ao fundo.
6. Confio este Dia Mundial do Doente à protecção materna de Maria, que acolheu no ventre e gerou a Sabedoria encarnada, Jesus Cristo, nosso Senhor.
Ó Maria, Sede da Sabedoria, intercedei como nossa Mãe por todos os doentes e quantos cuidam deles. Fazei que possamos, no serviço ao próximo sofredor e através da própria experiência do sofrimento, acolher e fazer crescer em nós a verdadeira sabedoria do coração.
Acompanho esta súplica por todos vós com a minha Bênção Apostólica.
Vaticano, 3 de Dezembro – Memória de São Francisco Xavier – do ano 2014.

Franciscus

fonte: http://www.cnbb.org.br/imprensa-1/internacional/15583-divulgada-mensagem-para-o-dia-mundial-do-doente-2015
Share:

Batizados - 28.12



No domingo do dia 28.12 a Pastoral do Batismo realizou diversos batizados na Paróquia de São José (UNA/BA). De acordo com o Padre Gilvan Oliveira o Batismo é o fundamento de toda a vida cristã, a porta de entrada para a vida na comunidade e o acesso aos demais sacramentos. Pelo batismo somos libertados do pecado e regenerados como filhos de Deus, tornando-nos membros de Cristo, somos incorporados à Igreja e Participantes de sua missão.




















Share:

Missa de Natal - 24.12



A festa do Natal existe porque alguém muito importante nasceu. No dia 24.12 o mundo cristão rendeu homenagens ao Salvador. A Igreja Católica mantém neste dia um dos rituais mais tradicionais de sua programação religiosa. Trata-se da Missa do Galo, que recebeu esta denominação porque realizava-se sempre à meia-noite, horário em que o galo anuncia a chegada de um novo dia.
A chegada do Natal na Paróquia de São José (Una/BA) foi celebrada na noite de quarta-feira (24) às 20hrs com a Missa da Vigília de Natal, conhecida tradicionalmente como Missa do Galo. “A celebração significa o despertar da fé e do novo tempo”.

















Share:

Culto de posse do Pastor da Primeira Igreja Batista de Una/BA



Na noite do dia 20 de dezembro a Primeira Igreja Batista do Município de Una/BA realizou um culto e Cerimônia de Posse do Pastor Raimundo Goodgloves Costa, onde estiveram presentes diversas autoridades do município, entre elas o Padre Gilvan Oliveira.
Pr. Raimundo que a graça do espírito venha renovar seu pastoreio.
Seja bem vindo ao município de Una/Ba Pastor!!!





Padre Gilvan

Pastor Raimundo

Share:

24 dez 2014 Hoje é dia de engrandecermos o nome do Senhor

Hoje é a noite feliz e abençoada de engrandecermos o nome do Senhor! Não tem sentido celebrar o Natal sem ter na boca a unção do Espírito de Deus para cantar os louvores do Senhor.
Zacarias, o pai de João, repleto do Espírito Santo, profetizou, dizendo: ‘Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo’” (Lucas 1, 67- 68).

A boca de Zacarias é ungida pela unção do Espírito Santo de Deus. E a boca que é ungida pela unção do Espírito louva, canta, enaltece, engrandece e bendiz o nome do Senhor Nosso Deus. A boca de Zacarias é ungida, santa e cheia da graça divina, por isso ele reconhece as grandezas de Deus em sua vida.
Vale mais uma vez recordar que Zacarias ficou por um bom tempo mudo, sem poder falar, sem poder dizer nada. E ali recolhido no seu silêncio foi para dentro do seu interior, do seu coração e pôde reconhecer quão grande é o Senhor Nosso Deus, que o Seu nome seja bendito, seja exaltado e glorificado entre nós.
Hoje é dia de cantarmos para Deus! Hoje é a noite feliz e abençoada de engrandecermos o nome do Senhor! Não tem sentido celebrar o Natal, vivê-lo, sem ter na boca a unção do Espírito de Deus para cantar os louvores do Senhor.
Que nesta noite você não se embriague do vinho, da bebida. Que nesta noite você, simplesmente, não coma todas as coisas que você e todos de sua casa prepararam sem primeiro cantar os louvores do Senhor. O sentido desta noite é o reconhecimento, é a ação de graças, é o louvor, porque Deus tem sido muito bom para conosco!
Para isso não importa como estejamos vivendo ou esteja hoje a nossa vida, ainda que tenhamos ou estejamos passando por essas ou por aquelas dificuldades. Foi em meio às dificuldades de uma noite fria, de uma noite sem acolhimento, que Maria trouxe e nos deu o maior dos presentes: Jesus, o Filho eterno de Deus. Deus quer estar presente e ser o maior presente da nossa vida quando nós abrimos o nosso coração para reconhecê-Lo!
Hoje peço realmente a Deus a unção para os nossos corações, para a nossa casa, para a nossa família. Peço, realmente, que o Espírito de Deus, Aquele mesmo que entrou no ventre de Maria e fez de lá o lugar da morada de Deus, esteja hoje na sua casa, na sua família, no seu lar! Que Ele esteja com você onde quer que você esteja, para que, assim como Zacarias, você possa deixar irromper um hino de louvor, de ação de graças e de reconhecimento de seu interior porque Deus tem sido muito bom para conosco!
Uma noite feliz e abençoada para você, sua casa e sua família!
Deus abençoe você!

Fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/hoje-e-dia-de-engrandecermos-o-nome-do-senhor/
Share:

Prefeitura (Secretaria de Desenvolvimento Social) realiza Natal das Famílias



Prefeitura Municipal de Una/Ba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social juntamente com a Comunidade Cristã realizou na noite do dia 23 de dezembro o “Natal das Família”, na Praça Dr. Manoel Pereira de Almeida.
As atividades tiveram início a partir das 15h00 com diversos brinquedos para a criançada. A partir das 19h00 teve início as apresentações natalinas com participações das igrejas cristãs, com repertório repleto de temas clássicos de Natal, além de grupos de danças e a participação muito especial dos “Curumins do Batuquae”.
Durante o evento foi apresentado o Presépio feito de papel, confeccionado pelos usuários do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV, referenciado ao CRAS – Centro de Referência da Assistência Social. O SCFV realiza atividades com crianças e adolescentes de 07 a 14 anos e idosos, no CRAS (centro), no bairro Sucupira e no distrito de Colônia de Una.















Share:

Pesquisar

Postagens mais visitadas

Postagens mais visitadas

Arquivo do blog

Postagens recentes

Pages

Definition List