• Padroeiro da Cidade de Una - 19.03

    São José era carpinteiro na Galiléia e marido da Virgem Maria, protetor da Sagrada Família.

  • Padroeira do Brasil

    O Dia de Nossa Senhora Aparecida foi oficialmente instituído a partir do decreto de Lei nº 6.802, de 30 de junho de 1980.

  • Campanha da Fraternidade 2019

    Tema: Fraternidade e Políticas Públicas Lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27).

  • Paróquia São José

    Una - Bahia.

  • Igreja Católica Apóstolica

    Fundada de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo e que tem o apóstolo Pedro como figura de destaque, pois foi através dele que a Igreja começou a ser edificada (Mateus 16:18)..

Sejam Bem vindos, Voluntários do Sertão!



PROJETO VOLUNTÁRIOS DO SERTÃO!!!

São cerca de 250 profissionais de diversas especialidades da área de saúde.

Atendimentos médico e odontológico durante uma semana.
É GENTE CUIDANDO DE GENTE!! 
Os 250 voluntários vão realizar consultas, exames, cirurgias, mamografias, ultrassonografias e outros...

Sejam Bem Vindos!
Paróquia de São José - Una/BA

Share:

Papa Francisco canoniza João Paulo II e João XXIII

João Paulo II e João XXIII foram inscritos no livro dos santos na manhã deste domingo, 27, festa da Divina Misericórdia

Jéssica Marçal
Da Redação
1canonizacaoJPII_JoaoXXIII
Papa Francisco lê a fórmula de canonização de João Paulo II e João XXIII / Foto: Reprodução CTV

São João Paulo II e São João XXIII. Na manhã deste domingo, 27, festa da Divina Misericórdia, Papa Francisco canonizou os Papas beatos João Paulo II e João XXIII. A cerimônia acontece na Praça São Pedro e conta com a presença do Papa Emérito Bento XVI.
A cerimônia teve início às 10h (em Roma, 5h no horário de Brasílial). O rito de canonização aconteceu logo no início da Missa. O Santo Padre fez as petições, seguido do Cardeal Angelo Amato, que é o presidente da Congregação para a Causa dos Santos.
“Lemos nossa oração a Deus Pai, por meio de Jesus Cristo, para que por intercessão da Virgem Maria fortaleça com sua graça o que estamos para realizar”, disse Francisco.

reliquias_papas 

Após a leitura da fórmula de canonização, com a qual os dois beatos se tornaram santos, foi realizada a procissão das relíquias dos dois santos. O momento foi sucedido pelo agradecimento dirigido ao Santo Padre pelo Cardeal Amato, que pediu a redação da carta apostólica referente à canonização, pedido ao qual Francisco já respondeu: “Ordenamos”.
Após a canonização, Francisco deu sequência à cerimônia com a celebração da Santa Missa.

Fonte: http://noticias.cancaonova.com/papa-francisco-canoniza-joao-paulo-ii-e-joao-xxiii-2/
Share:

Domingo da Divina Misericódia

O Domingo da Divina Misericórdia é celebrado no domingo seguinte a Solenidade de Páscoa em todas as Igrejas do mundo. A data foi instituída pelo, na época, Papa João Paulo II, em 30 de abril do ano de 2000.

Na Paróquia de São José (Una/BA) a Celebração da Divina Misericórdia foi organizada pela Pastoral Familiar.


Procissão de Entrada

Procissão de Entrada

Ato Penitencial

Ato Penitencial

Ministério de Música


 Ministério de Leitores

Homilia - Padre Gilvan



Ofertório


Aniversariantes da Semana
Share:

52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil

A 52ª Assembleia Geral (AG) dos Bispos do Brasil terá inicio no próximo dia 30 de abril e prosseguirá até o dia 09 de maio, em Aparecida, SP. No encontro serão debatidos sete temas prioritários, dez temas diversos e o tema central “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia”. A pauta conta também com retiro, reuniões, celebrações especiais e comunicações.
O arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis, destacou os principais assuntos que serão tratados. “Durante o evento, os bispos irão refletir sobre temas importantes como a renovação paroquial. Depois nós vamos também iniciar uma reflexão sobre os cristãos leigos na Igreja e na sociedade. Teremos um tema a ser aprovado sobre a questão agrária, assim como um documento sobre a realidade nacional, referente à situação atual, num momento que estamos nos aproximando das eleições”, disse o cardeal.
Dentro dos temas diversos, haverá análises de conjuntura político-social e eclesial; a preparação para a 3ª Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos, que debaterá os novos desafios da família para a nova evangelização; a exortação sobre a nova evangelização, do Papa Francisco; a avaliação e encaminhamento das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) de 2015 a 2018; as consequências e desafios pastorais da Jornada Mundial da Juventude.
Nos dias da Assembleia haverá reuniões dos Conselhos Episcopais dos Regionais e dos bispos referenciais. Outros momentos estão reservados para comunicações das Comissões Episcopais, dos organismos do povo de Deus, do grupo de trabalho sobre o Concílio Vaticano II e das dioceses. Os desdobramentos e aplicações do acordo do Brasil com a Santa Sé, a administração do Pontifício Colégio Pio Brasileiro, a fala do presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) sobre a situação dos indígenas no Brasil, a Pastoral do Dízimo e os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida fazem parte das comunicações.
Os bispos são convocados para a Assembleia Geral de acordo com as disposições regimentais da CNBB. A participação dos bispos eméritos não é obrigatória, mas eles são convidados para partilhar suas experiências.
Diante da proximidade das eleições presidenciais deste ano, os bispos farão durante a Assembleia uma mensagem para os fiéis a fim de ajudá-los a pensar sobre a responsabilidade do voto. Será divulgada também a mensagem sobre o Dia dos Trabalhadores.  

Por Kamila Aleixo, com informações  da CNBB e site da Arquidiocese do Rio de Janeiro

Fonte: http://www.arquidiocesedebrasilia.org.br/noticias.php?cod=1824
Share:

Domingo da Divina Misericórdia



O Domingo da Divina Misericórdia é celebrado no domingo seguinte a Solenidade de Páscoa em todas as Igrejas do mundo. A data foi instituída pelo, na época, Papa João Paulo II, em 30 de abril do ano de 2000.
Este domingo é dedicado, especialmente, para a salvação de almas, por isso concede-se nesta ocasião indulgência plenária aos pecadores, sob as condições pré-estabelecidas - Confissão sacramental, Comunhão Eucarística e orações segundo a intenção do Sumo Pontífice.
Além disso, a intenção também é reaproximar os fieis de Deus e reforçar a crença na Misericórdia do Senhor, que, em Sua infinita benevolência, é capaz de realizar obras grandiosas, livrando de momentos de dificuldades, sofrimentos, privações e provações todos aqueles que creem na Clemência Dele, como afirma o decreto da Penitenciaria Apostólica sobre as indulgências para esse domingo.
“Com providencial sensibilidade pastoral, o Sumo Pontífice João Paulo II, a fim de infundir profundamente na alma dos fiéis estes preceitos e ensinamentos da fé cristã, movido pela suave consideração do Pai das Misericórdias, quis que o segundo Domingo de Páscoa fosse dedicado a recordar com especial devoção estes dons da graça, atribuindo a esse domingo a denominação de "Domingo da Divina Misericórdia" (Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, Decreto “Misericors et miserator”, 5 de Maio de 2000).
Durante este dia, a Igreja convida a todos a realizarem a Festa da Misericórdia como forma de reconhecer e dar graças pela Misericórdia Divina.
Esta Festa, apesar de ter sido instituída pelo Papa João Paulo II no ano 2000, já era realizada há muitos anos, nesta mesma data, na Polônia, pela, na época, Irmã Faustina Kowalska.
Segundo Irmã Faustina o festejo era realizado a pedido de Jesus, que aparecia para ela e a instruía para que trabalhasse na propagação da Divina Misericórdia.
Todas as aparições de Jesus à Ir. Faustina foram registrados em seu diário. Segundo os escritos, Jesus pediu a Irmã que fosse realizada a Festa da Misericórdia em toda a Igreja; pedido apontado, pelo menos, em 15 momentos nas anotações, como cita um trecho retirado do diário da religiosa.
"Desejo que a Festa de Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia estão abertas as entranhas da minha Misericórdia. Derramo todo o mar de graças nas almas que se aproximarem da fonte da minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e castigos. Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças... Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa. A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da minha Misericórdia." (Diário no.699).
Em outro relato, Jesus teria feito outro comentário sobre a Festa: “Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pobres pecadores. (...) Neste dia estão abertas as entranhas da Minha Misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre aquelas almas que se aproximam da fonte da Minha Misericórdia. A alma que for à confissão e receber a Sagrada Comunhão obterá remissão total das culpas e das penas. Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais se derramam as graças. Que nenhuma alma receie vir a Mim, ainda que os seus pecados sejam tão vivos como escarlate.” (D 699)
Além da Festa, a Igreja pede que sejam realizados o Terço da Misericórdia; a Novena da Divina Misericórdia; a Hora da Misericórdia, realizada às 15h - em memória da hora da morte da religiosa - e a Imagem da Misericórdia Divina; indicações também feitas pela religiosa.
A Imagem da Misericórdia é um quadro de Jesus, pintado à mão por um pintor renomado naquele tempo, a partir das descrições feitas pela Irmã. A obra ainda trazia a seguinte inscrição: “Jesus, eu confio em vós!” (Jezu, ufam Tobie!).
Por não ter credibilidade, a Imagem e os escritos produzidos pela Irmã Faustina foram proibidos por mais de duas décadas.
Após analisar os escritos originais, a Santa Sé voltou atrás e autorizou, em 1978, a devoção da Devoção da Divina Misericórdia.
Em 1994, Irmã Faustina foi beatificada e em 2000, canonizada com o título: Santa Maria Faustina do Santíssimo Sacramento.
Curiosidade:  João Paulo II x Domingo da Misericórdia
Karol Józef Wojtyla, Papa João Paulo II, instituiu no ano 2000 a Festa da Misericórdia no 2 º Domingo da Páscoa.
O religioso faleceu no dia 02 de abril de 2005, que na época coincidiu com esta festividade.
E no dia 27 de abril, quando será celebrado o Domingo da Misericórdia, o beato João Paulo II será canonizado, junto com o beato João XXIII.

Por Gislene Ribeiro

Fonte: http://www.arquidiocesedebrasilia.org.br/noticias.php?cod=1825
Share:

"João XXIII e João Paulo II poderão nos ajudar a viver o Evangelho", afirma dom Leonardo Steiner


Pela primeira vez na história da Igreja, dois papas serão canonizados em um mesmo dia, na mesma cerimônia. João XXIII e João Paulo II se tornarão santos neste domingo, 27, durante missa presidida pelo papa Francisco e concelebrada pelo papa emérito Bento XVI e os cardeais e bispos presentes, na Praça de São Pedro. A celebração contará com a participação de milhares de fieis. São esperadas delegações de mais de 100 países e, ao menos, 24 chefes de Estado.
Para o bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, o papa Francisco teve uma “feliz iniciativa” ao querer canonizar os dois papas. “São dois grandes homens que serão canonizados, colocados diante de nós como exemplos de pessoas que poderão nos ajudar a viver o Evangelho”, afirma dom Leonardo Steiner.
O bispo explica que a Igreja vive hoje das iniciativas de João XXIII e o define como um “homem experiente, que foi núncio apostólico em diversos países”. Segundo dom Leonardo, João XXIII percebeu que a Igreja precisava de uma renovação e por isso convocou o Concílio Vaticano II, para dar vida nova à Igreja e colocá-la em movimento. “João XXIII mudou o modo de ser papa. Um homem simples, relacional, próximo das pessoas, tinha a linguagem do povo. Um grande homem, com muito amor à Igreja”, ressalta.
Com relação a João Paulo II, dom Leonardo diz que ele foi o “arauto da paz”. Acrescenta que foi um homem peregrino, que visitou diversos países. “Não teve receio de dizer o que pensava, sempre soube marcar a presença da Igreja. Ao final da sua vida, João Paulo II, ofereceu o próprio sofrimento a Deus por amor à Igreja”.

Fonte: http://www.cnbb.org.br/imprensa-1/internacional/14092-joao-xxiii-e-joao-paulo-ii-poderao-nos-ajudar-a-viver-o-evangelho-afirma-dom-leonardo-steiner
Share:

Santos Papas

Dom Canísio Klaus
Bispo de Santa Cruz do Sul (RS)
O tratamento normal dado aos papas é “sua santidade”. As palavras expressam o desejo latente no coração das pessoas de que o Papa seja santo. Mesmo assim, sabemos que, enquanto continua na terra, o papa também é pecador. Como qualquer outra pessoa, ele é santo e pecador. Mais do que o comum das pessoas, no entanto, ele busca a santidade como projeto para a sua vida pessoal. É o que testemunha o postulador da causa da canonização de João XXIII, Padre Califano: “a santidade era um objetivo que Roncalli cultivava em qualquer época da vida, como padre, bispo e papa”, assumido como seminarista aos 15 anos de idade e renovado anualmente, inclusive quando já era papa (Rádio Vaticano). Algo parecido se diz de João Paulo II, que como estudante já tinha fama de santidade e que em suas pregações repetia que “a tarefa da igreja é evangelizar e levar todos à santidade”.

No dia 27 de abril, domingo da Divina Misericórdia, Sua Santidade o Papa Francisco irá presidir a cerimônia de canonização destes dois papas que buscaram a santidade desde a sua juventude. A partir deste dia, eles poderão ser invocados como santos protetores da Igreja, de comunidades, famílias e pessoas devotas. Eles irão se somar a São José de Anchieta e a outras milhares de pessoas que já receberam o título de santos e santas ao longo da história da Igreja.
O dia escolhido para a cerimônia de canonização coincide com o domingo da Divina Misericórdia. Lembro que a festa foi instituída por João Paulo II no ano 2000, com o decreto de que a partir de então o segundo domingo da Páscoa fosse comemorado como o Domingo da Divina Misericórdia. Antes disso, em 1980, João Paulo II já havia escrita a carta encíclica sobre a misericórdia divina – Dives in Misericordia – na qual afirma que “a Igreja deve considerar como um dos seus principais deveres o de proclamar e introduzir na vida o mistério da misericórdia, revelado no seu grau mais elevado em Jesus Cristo” (n. 14).
A canonização de João XXIII e João Paulo II colocam em destaque duas virtudes importantes na vida do cristão e duas características do Deus revelado nas Sagradas Escrituras: a bondade e a misericórdia. Deus é bom e misericordioso. A constatação foi feita por Moisés (Êxodo 34,6): “Deus é compassivo e misericordioso, lento para a cólera e cheio de bondade e fidelidade”.
João XXIII passou para a história como o Papa Bom e que revelou a face materna de Deus em sua vida e em seus ensinamentos. João Paulo II se destacou pela ênfase dada ao Deus da Misericórdia. Nós, os cristãos, precisamos cultivar a bondade e a misericórdia, ao mesmo tempo em que adoramos o Deus bondoso e misericordioso.
Que os santos padres os papas João XXIII e João Paulo II inspirem as lideranças da Igreja a serem bondosas e misericordiosas e que as comunidades cristãs sejam sempre mais “mães e mestras” que refletem a misericórdia de Deus, são nossos votos por ocasião da festa da divina misericórdia e da canonização destes dois grandes servidores da Igreja!

Fonte: http://www.cnbb.org.br/outros/dom-canisio-klaus-1/14078-santos-papas
Share:

Papa celebra Missa de Ação de Graças pela canonização do Pe. José de Anchieta

O Papa Francisco celebrou no final da tarde desta quinta-feira, na Igreja de Santo Inácio de Loyola, centro de Roma, uma Missa de Ação de Graças pela Canonização do Pe. José de Anchieta. O decreto que elevou o Apóstolo do Brasil à glória dos altares foi assinado pelo Pontífice no último dia 3 de abril. Com uma significativa presença de fiéis e religiosos brasileiros residentes em Roma, a celebração teve a participação também de autoridades civis e da Igreja no Brasil.

Fonte: http://noticiascatolicas.com.br/papa-celebra-missa-de-acao-de-gracas-pela-canonizacao-do-pe-jose-de-anchieta.html.
Share:

Cristo Ressuscitou, Aleluia!




Cristo Ressuscitou, Aleluia! “Exulte o céu, e os Anjos triunfantes, mensageiros de Deus, desçam cantando; façam soar trombetas fulgurantes, a vitória de um Rei anunciando”.

É assim que a Igreja celebra o anúncio da vitória da Vida sobre a morte, da Luz sobre as trevas: Cristo Ressuscitou, Aleluia! No céu se realiza essa grandiosa festa entre os anjos que, cumprindo a missão a eles confiada, descem para a terra e comunicam aos homens essa linda realidade. A festa do céu chegou até nós! Aquele que estava morto vive! O fogo novo do Círio Pascal entra na igreja ainda escura para mostrar essa vitória da vida sobre a morte.

A luz nova que entra na igreja é o sinal da Luz de Cristo que também chega até os nossos corações. Todos são iluminados, só precisamos deixar que essa Luz Verdadeira penetre o mais profundo em nosso ser, dissipando qualquer sombra e erradicando em nós as raízes da vida velha. A Páscoa é muito mais que a “festa do chocolate”. Para nós, resgatar o verdadeiro sentido desta solenidade é questão de crescimento na nossa identidade de cristãos autênticos.

A ressurreição de Cristo dá o sentido de todas as outras festas cristãs, enche de esperança os sofrimentos e inaugura um tempo novo de crescimento rumo à realização do projeto de Deus também para nós. Aquele que morreu por nós, também por nós ressuscitou, para deixar claro que esse projeto do Pai também se realizará nas nossas vidas.

Feliz Páscoa!

Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova
Share:

Papa celebra Vigília Pascal e pede aos cristãos: retornem à Galileia

O Papa Francisco presidiu a celebração da Vigília Pascal, na Basílica de São Pedro, em Roma
André Cunha
Da redação
vigilia_papa
“A Galileia é o lugar do primeiro chamado, onde tudo iniciara”, disse o Papa. (Reprodução/CTV)
A cerimônia da Vigília Pascal no Vaticano, foi presidida pelo Papa Francisco neste sábado, 19, e concelebrada por centenas de sacerdotes, bispos e cardeais, na Basílica de São Pedro. A celebração teve início às 20h30 (horário italiano).
Refletindo acerca do Evangelho proposto pela liturgia de hoje, o Papa Francisco destacou a frase de Jesus que ordena às mulheres: “Não tenham medo. Ide anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galileia. Lá eles me verão. (cf. Mt, 28, 10)”.
“Não tenha medo, é a voz que encoraja”, disse o Papa. “O anúncio das mulheres chegava como uma luz na escuridão. Não tenham medo e vão à Galileia”, enfatizou Francisco.
Segundo o Pontífice, a Galileia é o lugar do primeiro chamado, onde tudo iniciara. “Voltar à Galileia significa reler tudo a partir da cruz e da vitória, sem medo. Não temer. Reler tudo. A pregação, a comunidade, até a traição. Reler tudo a partir do fim que é um novo início”.
Francisco recordou também que, para todos os cristãos existe uma Galileia, trata-se do principio do caminho com Jesus. O Batismo, conforme explicou o Papa, é também este início de caminhada.
“Ir à Galileia significa redescobrir o nosso Batismo como fonte viva; tirarmos energia nova para nossa vivência da fé. Retornar onde a Graça de Deus me tocou e levar calor e luz aos outros irmãos”.
vigilia_catecumeno
Crianças, jovens e adultos recebem o Sacramento do Batismo na Vigília Pascal. (Reprodução/CTV)
O Santo Padre também explicou que, na vida do cristão, depois do Batismo, existe outra Galileia, uma existencial, a do encontro pessoal com Jesus Cristo. “Ir à Galileia é recordar quando o Senhor nos chamara, disse meu nome e pediu-me para segui-lo. O momento em que Ele me fez sentir que me amara”, esclareceu o Papa.
“Hoje cada um de nós pode recorda-se: qual é a minha Galileia? Eu me recordo? Lembro-me dela? Eu me esqueci? Procure-a, e encontrarás. Diga-me, Senhor, qual é a minha Galileia. Quero voltar lá para encontrar-te e deixar-me abraçar pela Sua misericórdia. Não ter medo!”, refletiu.

Fonte: http://noticias.cancaonova.com/papa-celebra-vigilia-pascal-e-pede-aos-cristaos-retornem-a-galileia-2/
Share:

CELEBRAÇÕES DA SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO: SANTA MISSA E VIA SACRA NAS RUAS DE UNA

Hoje os fiéis relembraram a morte de Jesus Cristo. As igreja católica de São José de Una teve uma programação especial durante esta Sexta-feira Santa. 

A ‘Sexta-Feira da Paixão’, é a data em que os cristãos recordam o julgamento, crucificação, morte e sepultura de Jesus Cristo, através de diversos ritos religiosos. 
Na programação tivemos a missa solene as leituras e reflexões voltadas ao tema do dia e a Via Sacra por ruas de cidade, onde houve a uma grande participação dos grupos, movimentos, pastorais e a comunidade em geral. Confira as fotos abaixo.
Seguindo a programação ainda teremos a Bença do Fogo no sábado as 20h e a missa da Páscoa (ou Ressurreição) que acontece no domingo, a partir das 19h, na paróquia da cidade. 

































Share:

Pesquisar

Postagens mais visitadas

Postagens mais visitadas

Arquivo do blog

Postagens recentes

Pages

Definition List