Dom Ceslau fala sobre a missão do padre Luiz Alves na África


Aconteceu no último sábado (30), na Paróquia Senhora Santana, em Buerarema, pertencente à
Diocese de Itabuna, a missa de envio do Pe. Luiz Alves. A Santa Missa teve início ás 19h e foi
presidida pelo bispo diocesano dom Ceslau Stanula.


Confira na íntegra a homilia de Dom Ceslau:
“Esta semana eu estava pensando nesta missa de envio. Tive muitos pensamentos e veio a
palavra de Deus para iluminar a nossa vida e interpretar nossos sentimentos, e ao mesmo
tempo, encorajar nossa caminhada. A oração que acabamos de rezar diz: concedei-me, nosso
Senhor e nosso Deus, adorai-vos de todo o coração e amar as pessoas com verdadeira
caridade. Só se pode adorar a Deus, amando o próximo, ou melhor, quem disse que ama a
Deus e não ama o próximo é mentiroso. O mais importante é a caridade e o amor a Deus, que
se manifesta no amor ao próximo.
O Pe. Luiz Alves, que vai agora como representante da nossa comunidade, vai para uma
comunidade cedente da palavra de Deus. Foi isso que ele decidiu. O sentimento de ir foi
brotando no seu coração, e ele colocou essa sua vocação nas mãos dos seus superiores que
concordaram em ele ser missionário na terra africana”.
Dom Ceslau incentivou e orientou o missionário e falou de sua experiência.
“Tenho muita alegria, pois já são três missionários que eu ordeno, que estão trabalhando na
África. Primeiro foi o meu sobrinho, que trabalhou por doze anos. O segundo foi o padre
Badacer, que ainda está evangelizando na África e agora vem o Pe. Luiz Alves, que vai
justamente para o mesmo lugar na África, em Moçambique. Eu compreendo perfeitamente o
que ele sentindo hoje, um nó na garganta, de sair daqui, de onde cresceu e ir para um lugar
desconhecido. Já passei por esta experiência há cinquenta anos. Em 1966, eu vivi estes
mesmos problemas, as mesmas situações, quando veio o superior e me disse que eu devia ir
como missionário para Argentina, com outra língua, outra cultura, outro clima, então, primeiro a
gente se assusta com essa novidade, mas, quando a gente diz sim, é com coragem. É por
amor a Jesus Cristo, somente e unicamente é esta motivação e que nos dá força. Na
Argentina, trabalhei somente seis anos e me tornei como um deles, foi uma alegria conviver
com este povo de Deus. O meu superior me chamou e disse: agora você vai para a Bahia,
começar um novo trabalho em Bom Jesus da Lapa. Veio outro nó na garganta, mas disse sim
novamente, fui e nunca me arrependi, foi um grande passo na minha vida. Tudo que ele está
vivendo eu já vivi e tudo o que esta sentindo, eu também senti,por isso, eu posso dizer com
toda propriedade que eu sei a importância destes passos que ele está dando, mas tudo isso
faz alegria, entusiasmos e colabora com Jesus. Jesus enviava seus discípulos e nós também
seguimos os ensinamentos de Jesus enviando nossos missionários para África.Padre Luiz, o
Senhor não vai só, a sua primeira comunidade de Arataca, a segunda comunidade de Una e a
comunidade de Buerarema vão te acompanhar pelas orações e seus colegas vão rezar por ti,
para abençoar seu trabalho. A felicidade dos nossos irmãos africanos, vai ser felicidade
nossa. É tudo por amor a Cristo”.
Na oportunidade, foi entregue ao pe. Luiz Alves como lembrança, uma cruz da Jornada Mundial
da Juventude do Rio de Janeiro.
“Todos os bispos receberam esta cruz missionária, pois ela representa a cruz de Cristo, o
Cristo do Corcovado, com os braços abertos, que acolhe a todos, seja brasileiros, africanos... a
cruz desta celebração e que representa as comunidade de lá da África”, finalizou Dom Ceslau.
Fonte: portalcatolico.net
Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agenda Paroquial 2020

Pesquisar

Postagens mais visitadas

Arquivo do blog